Aplicativo nativo ou híbrido: qual é a melhor opção?

Aplicativo nativo ou híbrido
4 minutos para ler

Quando vamos criar um aplicativo, devemos definir o melhor caminho para estruturar um software que se alinhe às nossas demandas e tenha alta performance.

Durante o planejamento, um dos passos fundamentais será a escolha entre aplicativo nativo e híbrido. Ela é uma das mais importantes, afinal, definirá como recursos e updates serão implementados.

Para tomar uma decisão robusta, é fundamental conhecer e entender as diferenças entre um aplicativo híbrido e um nativo. Veja, a seguir, quais são elas!

O que é um aplicativo nativo?

O aplicativo nativo é um tipo de app que utiliza a suíte de desenvolvimento disponibilizada pela empresa que distribui o sistema operacional.

No caso do Android e do iOS, portanto, os apps com código nativo são os que utilizam os SDKs distribuídos, respectivamente, pelo Google e pela Apple.

Um aplicativo construído com a linguagem de código nativa do sistema consegue aproveitar melhor o hardware, tendo acesso a mais recursos e integrações por meio de APIs. Porém, terá processos de atualização e correção de código mais longos, especialmente no caso das ferramentas multiplataformas.

O que é um aplicativo híbrido?

Os aplicativos híbridos são os tipos de apps que combinam recursos web e nativos do sistema para entregar a melhor experiência possível ao usuário.

Esse tipo de aplicação se tornou muito comum nos últimos anos por permitir um processo de desenvolvimento multiplataforma mais ágil e prático. Porém, ele não consegue explorar todos os recursos do sistema — como é o caso das aplicações nativas.

E-book Cultura Data DrivenPowered by Rock Convert

Em outras palavras, o aplicativo híbrido consegue utilizar vários recursos avançados do sistema, mas faz isso com menos performance do que um aplicativo nativo. Por outro lado, ele pode ser desenvolvido com mais agilidade e menos custo, o que é um diferencial para serviços distribuídos para vários aparelhos.

Como escolher entre os dois?

Para escolher entre aplicativo nativo ou híbrido, é fundamental entender o que a empresa precisa e o tamanho do seu orçamento. Isso ajudará as equipes a entenderem quais recursos podem ser implementados em cada cenário e avaliarem o melhor caminho a ser seguido.

Nesse sentido, o negócio deve utilizar a seguinte abordagem para definir se investe em um aplicativo híbrido ou nativo:

  • avaliar o perfil e as demandas dos usuários;
  • identificar quais são os recursos prioritários;
  • levantar os recursos que podem ser implementados apenas nativamente;
  • definir o orçamento e o escopo do projeto de desenvolvimento;
  • identificar como cada alternativa se sincroniza com as opções de segurança da marca.

A partir disso, a empresa pode montar um aplicativo que esteja alinhado ao seu perfil e às demandas.

Na maioria das vezes, o aplicativo nativo é a melhor escolha. Afinal, ele consegue entregar uma usabilidade de maior qualidade, melhor performance e uma integração mais profunda com o aparelho do usuário.

Investir em aplicativos é uma ótima escolha para qualquer negócio. Essa estratégia dá aos profissionais acesso a uma aplicação alinhada com as suas necessidades e com recursos inovadores. Nos casos em que os apps são utilizados para vendas, a marca tem a sua imagem reforçada e, com isso, ganha competitividade.

Independentemente do caminho escolhido, é fundamental buscar bons parceiros para ajudar a entrar nessa tendência de TI. Desse modo, o seu aplicativo, nativo ou híbrido, terá os melhores recursos do mercado. Portanto, não deixe de buscar um apoio técnico de qualidade.

Quer saber mais sobre como investir bem em tecnologia? Então, entre em contato conosco!

Você também pode gostar

Deixe um comentário