Edge Computing: conceito e as suas principais aplicações!

6 minutos para ler

Se você chegou até este artigo procurando informações sobre Edge Computing conceito, deve saber que a velocidade com que a tecnologia está evoluindo tem contribuído diretamente com a otimização dos processos operacionais em empresas dos mais diversos portes e setores do mercado. À medida que novas demandas surgem, soluções mais ágeis e eficientes são lançadas e exatamente aí que o Edge se enquadra.

Neste conteúdo mostraremos o que significa o conceito de Edge Computing e como essa tecnologia funciona. Você verá também quais são os desafios enfrentados por organizações que decidem implementá-lo e as principais vantagens que ele pode oferecer ao seu negócio. Continue a leitura do post para saber mais sobre o assunto!

O que é Edge Computing e como funciona?

Edge Computing é um conceito amplo que consiste em inovar as formas como conhecemos o processamento e o armazenamento de dados, aproximando-os do local onde estão sendo requisitados ou gerados. Graças a essa aproximação ocorre uma série de benefícios como a diminuição das limitações de largura de banda, redução de latência e independência de algumas estruturas (que nem sempre são totalmente confiáveis na hora de lidar com dados complexos).

Dito isso, o conceito de Edge Computing ou computação de borda, como também é conhecido, refere-se aos dados que serão concentrados e processados em um servidor local que tem a capacidade de filtrar e analisar tudo que precisa ser retido localmente e o que pode ser destinado à um servidor centralizado na nuvem.

Quais as diferenças Edge, Fog e Cloud Computing?

Apesar dos serviços proporcionados por toda a estrutura de cloud terem autonomia e capacidade para potencializarem o armazenamento e o processamento de dados, o fato é que a cloud ainda será o ponto de afunilamento de desempenho da maioria dos sistemas que são dependentes da nuvem para serem processados, e isso ainda ocorrerá por bastante tempo.

Ao mesmo tempo que as cidades estão se tornando integradas e inteligentes graças à IoT (internet das Coisas), aumenta a demanda de monitoramento de veículos autônomos e do trânsito, por exemplo, e a latência aumenta proporcionalmente a ponto do tempo entre a chegada da informação e a tomada da decisão exceder o aceitável para que esses processos sejam realizados com segurança.

Com base nesse contexto, podemos afirmar que enquanto a Cloud Computing está em uma camada superior, recebendo informações e as tratando por meio de Machine Learning, a aplicação de Edge é aprimorada. Ou seja, a Cloud representa a capacidade do armazenamento e o processamento crescerem, já a Edge, está ligada ao equilíbrio entre o poder computacional e a agilidade. Por fim, a Fog, embora seja encarada como a função das duas tecnologias anteriores, é na verdade um campo de aplicação específico no qual os recursos são bem distribuídos para atender a questões como confiança e confiabilidade dos dados.

Quais são os principais desafios?

A implantação de sensores inteligentes capazes de garantir a segurança das informações está entre os principais aspectos que desafiam o Edge Computing, pois a exposição a ataques cresce consideravelmente a partir do momento em que dispositivos são inseridos na periferia de rede.

A descentralização da arquitetura aumenta a vulnerabilidade da rede e a escalabilidade aumenta à medida que novos sensores são adicionados. Contudo, o fato de haverem menos dados circulando entre a cloud e os sensores, faz com o uso de Edge Computing permite que o armazenamento de informações localmente reduza o risco de um modo geral.

Outro desafio está ligado ao gerenciamento e deploy de computadores de borda. O custo operacional aumenta conforme os dispositivos ganham poder computacional e exigem mais medidas de gerenciamento. Fica a critério dos gestores verificarem cada caso para saber se justifica o investimento de utilizar sensores na periferia de rede.

Além disso, a implementação do conceito de Edge Computing costuma enfrentar dificuldades com a falta de profissionais especializados para dar suporte caso ocorra alguma falha, o que gera maiores custos com manutenção e contratação de técnicos.

Embora ofereça maior controle sobre os fluxos de informações — quando os dados são geograficamente restringidos — a segurança física dos locais tende a ser inferior, como já dissemos, o que aumenta riscos de acidentes ou ações maliciosas.

Quais benefícios o Edge Computing pode oferecer?

Para concluir este artigo sobre o conceito de Edge Computing, vale destacar o fato de que essa tecnologia está caminhando paralelamente à evolução da IoT, e isso quer dizer que o desenvolvimento da computação de borda resultará no aperfeiçoamento da Internet das Coisas. Esta “parceria” trará uma série de vantagens, já pode agilizar e otimizar o processamento e armazenamento de informações de formas como jamais vimos.

A segurança dos dados é um dos aspectos que também será beneficiado, já que o Edge Computing poderá atuar como uma espécie de proteção à cloud. No caso de um ataque DDoS (ataque de negação do serviço), por exemplo, todo o servidor na nuvem será protegido, pois ele ficará limitado à borda, o que garantirá o desempenho para requisições realizadas a partir de outros pontos.

Sendo assim, os usuários e clientes que utilizarem essa arquitetura não serão afetados com a sobrecarga de servidores, quando estiverem realizando procedimentos que exijam uma resposta rápida. Além disso, se ocorrer uma situação de sobrecarga da borda, o mesmo se aplica no processo inverso, isto é, a cloud não será afetada.

Entre os principais benefícios que o Edge Computing tem a oferecer, podemos citar:

  • redução de custos de transmissão de dados e manutenção;
  • maior desempenho do processamento;
  • redução da latência;
  • aumento da disponibilidade;
  • maior segurança das informações;
  • menor carga dos servidores e das redes,

Como você pôde conferir neste conteúdo sobre Edge Computing conceito, essa tecnologia tende a revolucionar as formas como o armazenamento e o processamento de dados são realizadas. Além de garantir mais agilidade às atividades operacionais e aumentar a segurança, ela reduz custos de forma significativa, o que impacta diretamente na lucratividade da empresa.

As informações que abordamos neste conteúdo foram úteis, mas você ainda não sabe como implementá-las em seu negócio? Então entre em contato com a gente para entender como podemos ajudar!

Você também pode gostar

Deixe um comentário