Home Office: as mudanças na relação entre pais e filhos

5 minutos para ler

Vimos a rotina de muitas famílias mudarem desde o início da pandemia: os filhos que antes iam a escola, aderiram ao modelo remoto de estudo e (alguns) pais que saiam de suas casas todos os dias para trabalhar presencialmente, migraram para o home office. Então nos questionamos: o quanto este modelo de trabalho impactou a relação de pais e filhos?

Ainda em comemoração ao Mês dos Pais, entrevistamos os colaboradores, Ramon Lisboa, Desenvolvedor Full Stack e Valter Neto, Desenvolvedor BackEnd para contar mais detalhes sobre a relação com os filhos desde que migraram para o home office.

Conhecendo a família dos datunian@s

Ramon Lisboa, 31, casado há onze anos com Vanessa, conta que a vontade de ser pai cresceu após o casamento e não demorou muito para o desejo se tornar realidade, afinal o primeiro filho, Benjamin, chegou um dia após o aniversário de um ano de matrimônio! Isso por si só, já tornava o menino um tanto incrível, não é?

Porém, eles perceberam que o garoto conseguia ser ainda mais especial e trazer mais cor e alegria a vida deles. Aos 3 anos de idade, o menino foi diagnosticado como autista, hoje, aos 10 anos, Ramon conta com muito orgulho sobre os feitos do filho.

— Ele só nos dá muito orgulho! É incrível, pois vemos o quanto ele se desenvolveu ao longo dos anos. Ele é realmente uma criança muito especial, afirma.

Dois anos depois disso, nasceu o caçula Lorenzo. Um garoto empático, que é um grande amigo e protetor do irmão mais velho.

Enquanto isso, o nosso segundo entrevistado, Valter Neto, 34, “abre as portas” de sua casa para apresentar sua família! Em uma chamada de vídeo, acompanhado de sua filha mais nova nos braços, ele conta que já está há quase quinze anos casado com a esposa, Aline, e os dois são pais de uma dupla: Betina e Liv.

O nascimento da primeira filha, Betina, 6, aconteceu quando ele tinha 27 anos, fazendo com que ele e a esposa aprendessem juntos como educar uma criança. Neste ano, a pequena ganhou uma irmã: Liv, de apenas 4 meses.

A rotina de home office junto com a família

Questionados sobre a relação com os filhos no home office, Ramon conta que a combinação deste modelo de trabalho e os estudos à distância, tornou a relação entre eles ainda mais próxima. “Ficamos ainda mais unidos durante a quarentena. Em casa brincamos muito, rimos e estamos sempre juntos”, aponta.

Segundo ele, o trabalho presencial já não é mais uma opção. “Eu fico pensando: caramba, eu iria perder tudo isso se estivesse trabalhando presencialmente, imagina o que eu já não perdi?”, explica.

Ferramentas Gratuitas para facilitar a rotinaPowered by Rock Convert

A opinião dele vai de encontro com a de muitos brasileiros, de acordo com a pesquisa da consultoria Filhos no Currículo, em parceria com o Movimento Mulher 360, que ouviu 825 pais e mães entre abril e julho de 2020 e demonstrou que seis em cada dez pais e mães deseja ficar em trabalho remoto.

Para o Valter não foi diferente, fazendo home office desde o início da pandemia, o pai conta que sentiu uma grande diferença neste formato de trabalho, já que antes sua rotina era bastante corrida, onde conseguia ficar com as filhas em apenas um turno.

Outro ponto importante para ele é o fato de estar presente no desenvolvimento da filha mais nova, Liv, pois não havia conseguido acompanhar este período de vida da primeira filha, Betina, devido ao trabalho presencial.

O depoimento dos dois profissionais deixa claro que são os pequenos detalhes do dia a dia que tornam o home office ainda mais valioso em suas vidas.

Lições aprendidas com os pequenos

Na conversa, falamos sobre lições aprendidas na infância, paternidade e os frutos que isso proporcionou para a criação dos filhos de ambos entrevistados.

Ramon, comentou que a paciência tem sido um dos maiores exercícios colocados em prática no dia a dia, enquanto, Valter busca uma educação diferente ao qual vivenciou, sem brigas e com diálogos abertos.

Mas as lições não param por ai, Ramon acrescenta que a vulnerabilidade foi outro ponto importante, pois percebeu a emoção mais frequente nos seus dias desde a chegada dos filhos, assim como a empatia e o carinho.

Fica uma dica do Valter para estes momentos em que é preciso conciliar home office e a rotina com os filhos: é importante sempre se reinventar. “Nós, como profissionais, já temos que nos adaptar, imagina as crianças? Minha filha costumava pensar que por eu estar em casa, significava que eu estava livre para brincar. É importante ensinar aos pequenos sobre os momentos de trabalho,” afirma.

A Datum acredita que estar presente em momentos com a família é de extrema importância e por isso ficamos felizes em poder proporcionar momentos como esse para a maioria dos nossos(as) datunian@s.

Atualmente, 98% das nossas vagas são na modalidade remota, pois adotamos o modelo anywhere office, que possibilita uma jornada de trabalho mais autônoma, flexível e ao lado da família.

Legal conhecer mais sobre a história desses dois paizões, não é? Nós nos divertimos muito por aqui e esperamos que você também.

Você também pode gostar

Um comentário em “Home Office: as mudanças na relação entre pais e filhos

  1. O Home office veio mesmo para ficar, muitas empresas antes da Pandemia ‘não creditavam suas fichas’ neste modelo de trabalho, mas hoje ele é essencial, e muitas empresas hoje só trabalham com este modelo. Com ele conseguimos ter o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, fora a redução de custo para as companhias.

Deixe um comentário