Entenda a relação entre segurança de TI e a internet das coisas!

6 minutos para ler

Você sabe o que é internet das coisas? Mesmo que o conceito esteja na roda de conversas de todo mundo que trabalha com TI, nem todos sabem realmente o que o termo significa ou as suas possibilidades.

Isso acontece não por se tratar de algo complexo, mas porque falta informação, já que esse é um conceito genérico e com uma vasta gama de aplicações no mercado em geral.

Pensando nisso, neste post, nosso objetivo é trazer para você um apanhado geral sobre o conceito de internet das coisas e a sua relação com a segurança da informação. Boa leitura!

O que é internet das coisas?

Antes de falar propriamente da internet das coisas, vamos começar dissertando sobre o nosso dia a dia. Por exemplo, até pouco tempo atrás, você poderia comprar um relógio para ver as horas. Por mais bonito que ele fosse, teria apenas essa função.

Hoje, contamos com relógios inteligentes, que não apenas permitem ver as horas, mas também realizar uma série de outras funções. É possível se comunicar com o smartphone, fazer leituras de dados vitais, ler mensagens recebidas em apps e várias outras possibilidades.

Essa comunicação entre os equipamentos, cada vez mais comum, é o que chamamos de internet das coisas. Já podemos ver esse tipo de interação entre vários outros dispositivos, como geladeiras, televisores, computadores, cafeteiras e muitas outras coisas.

Essa realidade vai além dos robôs modernos que atuam nas fábricas. E, daqui para frente, cada vez mais dispositivos terão essa capacidade de comunicação.

Funcionamento

Em termos gerais, a internet das coisas tem um funcionamento simples: ela permite que todos os dispositivos tenham uma conexão com a rede e possam compartilhar suas informações.

Já demos o exemplo do relógio, mas existem também geladeiras que mandam avisos sobre a falta de itens ao smartphone de seu usuário, além de permitirem visualizar seu interior, realizar programações e várias outras funções.

Tudo isso é possível graças a uma série de sensores internos, junto com a capacidade de processamento e conexão à internet ou a alguma rede interna, como:

  • wi-fi;
  • bluetooth;
  • ethernet;
  • radiofrequência.

Essa comunicação pode ser realizada entre dispositivos e outros equipamentos, ou entre os objetos e pessoas.

Objetivos

Os principais objetivos da internet das coisas é trazer produtividade e agilidade, além de otimizar não apenas as tarefas simples do dia, mas também os processos de trabalho.

Falamos sobre os itens do dia a dia, mas a IoT também pode ser aplicada na rotina das empresas, trazendo a possibilidade de automação e digitalização de processos. O simples acesso à internet, atrelado às ferramentas de tecnologia, já transformaram a maioria dos negócios de uma forma gigantesca.

Afinal, praticamente todas as empresas utilizam algum tipo de sistema ou solução. Assim, a conectividade entre os dispositivos surge para melhorar e agilizar ainda mais os processos dentro das organizações, trazendo a chamada 4ª revolução industrial.

Guia da Metodologia AgilPowered by Rock Convert

Qual é a relação entre IoT e segurança da informação?

Até agora, falamos sobre o que é a internet das coisas e como esse conceito pode impactar os negócios, trazendo muitas vantagens e possibilidades. Mas e a segurança da informação? Sempre que falamos em conectividade, temos um grande questionamento que deve ser feito: qual é o nível de segurança disso?

Até pouco tempo atrás, em 2020, foram descobertas algumas falhas de segurança em roteadores Cisco, uma das maiores fornecedoras do mercado. Como consequência disso, hackers tiveram acesso a milhares de dispositivos, como câmeras de segurança, telefones, switches e outros equipamentos.

Quando falamos da aplicação em massa da IoT, temos de lidar com uma dificuldade que já existe hoje, mas que será maximizada: a quantidade de pontos de contato. Serão milhares de dispositivos que poderão ser utilizados como porta de entrada para hackers na tentativa de aplicar golpes ou roubar dados.

Como você pode imaginar, esse é — e continuará sendo — um desafio enorme para as empresas.

Como garantir a segurança digital com a IoT?

O movimento em direção à internet das coisas é inevitável, e é preciso que as empresas tenham consciência dos riscos à segurança digital e da necessidade de buscar soluções. Por isso, preparar desde já o seu time de TI — ou contar com o apoio de uma empresa especializada em tecnologia — se torna uma decisão fundamental.

O ideal é reservar uma parte do seu orçamento, não apenas para buscar novas soluções, mas também para realizar a preparação adequada de um ambiente protegido.

Algumas dicas podem ajudar você e o seu time a lidar com os desafios da segurança que a internet das coisas pode trazer. Vamos listá-los, a seguir.

Atualizações constantes

Uma das principais portas de entrada de cibercriminosos são as falhas de segurança apresentadas pelos dispositivos. Na maioria das vezes, a fabricante do equipamento descobre o problema e lança atualizações de correção.

O problema é que a maioria dos usuários não realiza a atualização necessária, sendo um alvo fácil para hackers. Por isso, é preciso manter todos os dispositivos atualizados.

Monitoramento

Hoje, dentro de um contexto onde a adesão a internet das coisas ainda é baixo, já temos uma gama de dispositivos conectados dentro de uma empresa. São computadores, impressoras, dispositivos móveis, roteadores e mais uma série de outros equipamentos.

Um erro comum é não conhecer todos eles. Afinal, quando eles estão ocultos aos colaboradores da TI, falham atualizações e esses dispositivos se tornam elos fracos. Assim, é preciso ter um controle e monitorar toda a rede de forma constante.

Treinamento e conscientização

Quando falamos em segurança da informação, o maior problema é o usuário. Isso porque, na maioria das vezes, as invasões e os roubo de dados acontecem por conta de falhas humanas, além de falta de atenção e conhecimento.

Com a internet das coisas, o fator tem o mesmo peso e deve ser trabalhado. Afinal, de nada adianta investir em tecnologia e utilizar as melhores opções, sendo que os colaboradores cometem erros simples. Portanto, é preciso investir em treinamento e conscientização dos funcionários, para que eles estejam preparados para lidar com os desafios do dia a dia e garantir a proteção dos dados.

A internet das coisas já é um grande diferencial no mundo corporativo, e as empresas que se atualizarem e investirem de forma correta nela poderão sair na frente de seus concorrentes. Porém, é preciso sempre manter a atenção sobre a segurança da informação.

Aproveite para assinar a nossa newsletter e fique por dentro de todas as novidades!

Você também pode gostar

Deixe um comentário