Conheça agora o que é CI/CD e quais as suas aplicabilidades

6 minutos para ler

Com a evolução do desenvolvimento de software, criou-se a necessidade por um processo mais ágil, flexível e seguro. Por isso, os desenvolvedores se reuniram para pensar metodologias ágeis e estruturar novas formas de organizar as jornadas. Nesse sentido, as próprias etapas de produção passaram por reavaliação, ganhando novas abordagens.

No meio desses conceitos está o de Continuous Integration (Integração Contínua) e o Continuous Delivery/Deployment (Entrega/Implantação Contínua), também conhecidos pelas siglas CI e CD. Ambas são estratégias para que as equipes alcancem a agilidade que precisam, no modelo que o mercado exige atualmente. Da mesma forma, são ideias que suportam que o desenvolvimento seja realizado por várias pessoas em um mesmo projeto.

Para saber mais sobre o que é CI/CD e entender como esses conceitos representam otimização na criação de software e no resultado, acompanhe este artigo!

O que é CI e CD?

Os conceitos CI e CD são complementares e ambos servem para estruturar um processo de criação de software seguro e automatizado, com monitoramento constante, a fim de suportar mudanças e entregas frequentes.

A Integração Contínua garante a união de codificações feitas por diferentes programadores. Assegura, também, que todas essas alterações sejam conectadas, sem que haja erros graves e sem que o sistema principal seja quebrado. É uma forma moderna de lidar com mudanças simultâneas, uma evolução do método antigo.

Caso uma equipe precisasse submeter alterações antigamente, alguns problemas poderiam ocorrer. Afinal, conflitos com versões e com possíveis bugs eram inevitáveis, o que atrasava todo o processo e comprometia o resultado. Com a Integração Contínua, as alterações passam por testes de unidade e de integração para assegurar a solidez, tudo com auxílio da automação.

A CI utiliza automação para realizar o controle de versões, compilar os códigos e colocar os diferentes colaboradores no mesmo padrão. Dessa forma, os desenvolvedores conseguem fazer muitas mudanças ao longo de um dia, com a garantia de proteção e consistência.

Logo depois da integração, as alterações passam pela Entrega Contínua (CD). Trata-se da definição que indica o transporte do código alterado para o repositório ideal. Enquanto a integração foca nos testes, a CD se concentra em fazer o release do código para o local onde deve ser armazenado.

O interessante é que a entrega é feita para o repositório certo em que as mudanças foram feitas, o que possibilita a prevenção de problemas com outras partes do sistema. Isso é especialmente importante para apps muito complexos que são construídos separadamente.

Contudo, CD também pode significar Implantação Contínua. Esse conceito, por sua vez, diz respeito à automação do upload do código novo para a produção, configurado no ambiente em que os clientes podem efetivamente utilizar o sistema. Esse upload é feito de forma automatizada e segura para evitar problemas com requisições simultâneas e assegurar que as alterações não causem riscos.

Quais as aplicações?

A Entrega Contínua, como um princípio, é uma das características das metodologias ágeis. Essa é uma das mudanças principais com relação a métodos anteriores de desenvolvimento. O ideal é realizar a produção em ciclos curtos para efetuar entregas frequentes e obter feedback.

Além disso, é típico da filosofia Agile a divisão da equipe em subgrupos distintos, em que as pessoas trabalham ao mesmo tempo em pontos distintos do sistema. Contudo, a Agile depende de uma metodologia que facilite a integração do código, pois senão toda a ideia de agilidade e flexibilidade estarão comprometidas.

Por isso, os conceitos que vimos de CI e CD são essenciais para que as equipes utilizem métodos ágeis de forma efetiva. Com a automação e os testes constantes, os códigos passam por todas as fases do ciclo de vida sem acrescentar grandes problemas. Além disso, são validados na medida em que são construídos em um tipo de desenvolvimento test-driven.

Outra aplicação comum das ideias de CI e CD é no chamado DevOps. É uma tendência que consiste na conexão entre os times de desenvolvimento e de infraestrutura, de modo a eliminar gargalos de comunicação e otimizar o desempenho das equipes. Essa ideia também depende fortemente de integração, implantação e entrega contínua.

Afinal, a ideia é adotar justamente a automação para agilizar alguns processos e permitir uma fluidez maior entre as responsabilidades dos times DEV e de operações.

Quais as vantagens?

Abaixo, examinaremos as principais vantagens da Integração Contínua e da Entrega e Implantação Contínua.

Flexibilidade

Com essas estratégias, os times têm a flexibilidade que precisam para produzir no mundo moderno. Ou seja, eles conseguem entregar mudanças de maneira rápida e flexível, de forma a escalar os seus softwares para atender à necessidade. É possível alterar sempre o código quando houver algum feedback do cliente, por exemplo.

Segurança

Essa possibilidade de mudança constante é suportada por mecanismos que garantem a segurança e proteção contra riscos. Como vimos, os testes e as ações automatizadas asseguram ações padronizadas e consistentes para prevenir erros humanos. Dessa forma, há menos downtime e menos erros acumulados, o que deixa o resultado mais sólido.

Podemos falar de segurança em outro viés também: o controle de versão e de submissão de mudanças previne que alterações maliciosas sejam enviadas ao repositório. Tudo é devidamente testado e o feedback de uma possível mudança arriscada já é enviado instantaneamente.

Alinhamento aos requisitos

Pensando nas metodologias ágeis, uma grande vantagem é o alinhamento da equipe aos requisitos do software. A facilidade para realizar mudanças permite que o time esteja sempre revendo o sistema para adequá-lo às necessidades e vontades do cliente, assim a comunicação é otimizada.

Redução de custos

Outro dos pontos positivos é a redução de custos. Com um desenvolvimento otimizado e orientado a testes e menos erros e conflitos, a equipe perde menos tempo, consome menos recursos com retrabalho e evita erros que custariam mais a empresa. Desse modo, o processo é aprimorado para uma performance eficiente que gera valor e evita excessos de despesas.

Como vimos, CI e CD são estratégias modernas para assegurar suporte a mudanças contínuas nos códigos sem que haja conflitos e riscos de falhas estruturais. Desse modo, os times chegam a softwares consistentes e robustos, que atendem aos objetivos e otimizam o dia a dia dos seus usuários. Por isso, é importante saber o que é CI/CD.

Gostou do conteúdo? Fale já com a Datum, uma empresa que adota metodologias ágeis para aperfeiçoar o desenvolvimento de softwares.

Você também pode gostar

Deixe um comentário