Saiba mais sobre segurança do software e criptografia!

6 minutos para ler

Sistemas, aplicativos e soluções tecnológicas são considerados como uma parte vital do funcionamento das empresas modernas, visto que oferecem suporte aos processos e à tomada de decisões. Sendo assim, devido ao fato de que os dados das organizações permanecem na nuvem, a segurança do software se mostra como um assunto muito importante.

Preparei este conteúdo para que confira um compilado de informações importantes sobre segurança do software, criptografia, riscos e boas práticas. Continue a leitura para saber mais sobre o assunto!

O que é e como funciona o teste de segurança?

O objetivo do teste de segurança é garantir que determinada aplicação funcione conforme o que foi especificado no escopo do projeto. Além disso, verifica se o software em questão se comporta adequadamente, de acordo com as diversas tentativas de acesso ilegal — com a finalidade de encontrar possíveis falhas de proteção e vulnerabilidades.

Todas as funcionalidades e mecanismos de proteção implementados na aplicação são testados para verificar se, de fato, podem proteger os acessos indevidos. Afinal, é muito comum que os softwares corporativos se tornem alvos de criminosos virtuais que buscam prejudicar a empresa ou, até mesmo, roubar informações sigilosas da companhia.

Devido a situações como essas, o teste de segurança do software visa a demonstrar se as aplicações são capazes de operar como foram programadas para fazer em casos de ataques ou tentativas de acesso por pessoas não autorizadas.

Além disso, a execução do teste de segurança permite que todas as dúvidas sobre possíveis vulnerabilidades do sistema sejam sanadas. Isso é fundamental para auxiliar na definição de um plano de contingência sobre quais medidas tomar em situações necessárias.

Quais são os riscos?

Existem diversos problemas que uma empresa pode enfrentar ao ter seus dispositivos infectados, dependendo do tipo de vírus. A seguir, mostraremos alguns dos principais riscos aos quais a organização pode se expor por conta da falta de segurança do software:

  • erros em programas ou arquivos;
  • exclusão de arquivos legítimos;
  • redução do espaço do HD;
  • criação de partições fantasmas;
  • blue screen (tela azul) com maior frequência;
  • duplicação ou substituição de arquivos;
  • impedimento de reinício do computador em modo de segurança;
  • impedimento de acesso à internet;
  • substituição do Master Boot Record do disco rígido;
  • desativamento do ponto de restauração dos computadores;
  • impedimento de abrir o antivírus ou qualquer outro software de segurança;
  • impossibilidade de acessar determinadas pastas;
  • criação de arquivos ocultos;
  • contaminação da rede;
  • roubo e envio de dados pessoais como senhas e arquivos importantes.

Também pode causar lentidão no sistema, impedir o reboot das máquinas e, até mesmo, provocar barulhos e ruídos por excesso de consumo de memória e processamento dos computadores, entre muitos outros problemas que podem resultar em graves prejuízos à empresa.

O que é criptografia de dados?

De forma simplificada, é um conjunto de técnicas que tem como finalidade proteger os dados de determinada aplicação, permitindo que apenas os usuários que tenham a “chave” possam acessar as informações.

A criptografia é um dos pilares da segurança do software, pois permite que a informação seja codificada, transformando-a em códigos que impedem a leitura por pessoas sem autorização. Dessa forma, só terá acesso ao que está escrito quem envia e quem recebe os dados ou quem tiver a chave para que o documento seja aberto.

A criptografia está mais presente em nosso dia a dia do que a maioria das pessoas imagina, protegendo nossos dados de pessoas mal intencionadas. Para que você tenha uma ideia, o próprio navegador usado para acessar a internet utiliza essa tecnologia para proporcionar uma navegação segura.

Qual é o papel da criptografia para a segurança do software?

Há uma grande variedade de aplicações que podem ser relacionadas à criptografia de dados. No entanto, algumas de suas utilidades são mais usuais. Entre elas, podemos citar:

  • troca de informações — muito usada para que dados possam ser compartilhados e trocados na internet, garantindo que informações sigilosas permaneçam no anonimato;
  • proteção pessoal ou corporativa — uso de ferramentas de criptografia para proteger computadores de pessoas físicas e jurídicas e as informações contidas nos dispositivos por meio de controles de acesso;
  • áreas de segurança — criação de áreas seguras dentro de um dispositivo no qual todos os dados são gravados e criptografados automaticamente;
  • assinatura digital de documentos — pode ser feita a partir de editores de texto comuns e garante total veracidade ao documento.

Quais as boas práticas de segurança do software?

Por fim, vale a pena mencionar algumas medidas para garantir a segurança do software, o que é vital para quem atua com desenvolvimento de sistemas e precisa transmitir credibilidade aos contratantes em potencial. Entre as boas práticas de proteção, podemos citar:

  • utilize métodos seguros para armazenamento e transferência de informações — a base de qualquer rotina corporativa é uma política de segurança que foque a confiabilidade de seus serviços no ambiente virtual;
  • aumente a integridade e autenticidade das informações por meio de verificações de pacotes de dados rotineiramente;
  • tenha um ambiente de desenvolvimento seguro — uma empresa que atua com produção de soluções tecnológicas e projetos de TI deve estar sempre em busca da proteção digital;
  • utilize métodos de desenvolvimento seguros — todo profissional de programação tem o seu próprio método de desenvolvimento preferido, contudo, é fundamental que ele saiba atuar com uma metodologia ágil, possa se adaptar às mudanças constantes e buscar práticas mais seguras;
  • use KPIs para mensurar o desempenho das equipes de TI — na área de desenvolvimento de softwares, é crucial que métricas sejam usadas para avaliar a performance de determinado setor ou time durante a elaboração de um projeto, pois é por meio delas que os profissionais podem conhecer melhor a evolução de cada etapa.

Como você pôde conferir neste artigo, a segurança do software é fundamental para a proteção dos dados corporativos e para garantir a credibilidade da empresa diante dos clientes e do mercado. Investir em sistemas protegidos com criptografia e tecnologias avançadas é fundamental para transmitir confiança e profissionalismo ao consumidor.

As informações que abordei neste conteúdo foram úteis para você? Quer saber mais sobre como podemos ajudar o seu negócio? Então, entre em contato conosco para conhecer nossas soluções!

Você também pode gostar

Deixe um comentário